• ULTIMAS

    Carcinicultores se adaptam ao convívio com o vírus da mancha branca


    O Rio Grande do Norte já está com o cultivo de camarão adaptado para conviver com um dos principais vilões de carcinicultores de todo o mundo, o vírus da mancha branca. Inofensivo aos seres humanos, o vírus ataca os crustáceos debilitando o sistema imunológico dos animais, levando à morte. A chegada da doença ao estado provocou danos significativos à atividade, cujas perdas foram da ordem de 60%. A produção anual foi reduzida de 30 mil toneladas para algo perto das 12 mil toneladas. Mas de acordo com a Associação Norte-rio-grandense dos Criadores de Camarão (ANCC), os produtores potiguares já encontraram estratégias para conviver com doença e ter uma produção viável.

    A saída tem sido a adoção de um sistema intensivo de criação, com aumento da densidade de animais por metro cúbico. “Nos países produtores que foram atingidos pelo vírus, houve aumento de produção após a chegada da doença devido ao sistema intensivo. Isso exige tecnologia e mais conhecimento, obrigando o produtor ter uma concentração maior para viabilizar a produção”, diz o presidente da ANCC, Orígenes Monte.

    _Oho_

    Segundo ele, o caminho trilhado pelos carcicnicultores para conviver com a doença é adoção de técnicas de manejo para que os animais, mesmo portadores do vírus, não desenvolvam a enfermidade, que se revela por manchas calcificadas na carapaça dos crustáceos. “Os produtores precisam trabalhar com condições nos viveiros que não estressem o camarão, proporcionando um meio ambiente confortável para ele se desenvolva mesmo com o vírus”. 

    Mas Orígenes Monte assegura que essas condições de conforto e biossegurança só compensam se a produção for no sistema intensivo. Hoje já existem produtores - como por exemplo a empresa Camanor, que tem viveiros que totalizam 12 hectares -  adaptados ao sistema intensivo. A recomendação para os pequenos carcinicultores é buscar capacitação nessa área para sofrer danos com o vírus, que chegou pelo ao estado pelo litoral sul em 2012 e três anos depois alcançou a região de Mossoró. Hoje, o estado já é uma zona endêmica de mancha branca.


    As estratégias de convívio com a doença serão tema de palestras e clínicas tecnológicas que serão ministradas nesta segunda-feira (9), no Espaço Empreendedor do Sebrae na Festa do Boi. Três capacitações vão abordar a temática da carciniculura: ‘Cultivo Intensivo de Camarão Marinho, uma ferramenta para exclusão do vírus da Mancha Branca’, ‘Experiências e reflexões sobre estratégicas de convívio e produção viável na presença da Mancha branca’ e ‘Larvicultura: por que devemos conhecer?’.

    Mas a programação vai abordar outras áreas do setor de aquicultura, como a piscicultura e a ostreicultura. Estão programadas as palestras ‘Criação de Tilápia em tanque escavado’, ‘Inovações Tecnológicas no Processamento de Tilápia’ e ‘Produção de Ostras Nativas a Partir de sementes produzidas em laboratório na Lagoa de Guaraíras’. Além disso, o Senar irá apresentar as experiências bem sucedidas que estão sendo desenvolvidas no Rio Grande do Norte. As capacitações começam a partir das 9h. A grade completa pode ser conferida no site http://www.rn.sebrae.com.br/festa-do-boi/.


    Agência Sebrae

    Acompanhe nossas novidades também no Facebook. Clique para curtir nossa fan Page

    ______________________________________________________ 

    ENSINO COM QUALIDADE É NO EDUCANDÁRIO ÊXITO COLÉGIO E CURSO

     
    A qualidade do ensino no Educandário Êxito Colégio e Curso no município de Caraúbas tem chamado a atenção da população, principalmente, de pais e alunos que reconhecem o compromisso que cada funcionário tem em repassar conhecimento de forma criativa e dinâmica capacitando alunos para um futuro melhor. 
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 ► Envie seu comentário:

    Item Reviewed: Carcinicultores se adaptam ao convívio com o vírus da mancha branca Rating: 5 Reviewed By: Gidel de Morais

    Seguidores

    Scroll to Top