• ULTIMAS

    TRT-RN mantém condenação de R$ 3 milhões contra as Lojas Americanas

    As unidades das Lojas Americanas em Natal/RN terão que cumprir uma série de obrigações trabalhistas determinadas pelo Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN). A decisão é resultado de recursos interpostos pelo Ministério Público do Trabalho (MPT-RN) e impôs novas obrigações à empresa, mantendo a condenação inicial por danos morais coletivos, no valor de R$ 3 milhões, pela prática de infrações como desvio de função e não concessão de intervalo interjornada.

    O acórdão foi proferido pela 2ª Turma de Julgamentos do TRT-RN. Em decisão unânime, os desembargadores deferiram uma lista de medidas requeridas pelo MPT, dentre elas a obrigatoriedade de as Lojas Americanas regularizarem os intervalos intra e interjornada, não adotar jornada de trabalho móvel e inserir nos contratos de trabalho a denominação correta da ocupação exercida pelos empregados, em vez de utilizar a função genérica de auxiliar de loja, que não consta na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO).

    O Tribunal entendeu que a empresa exerce um controle extraordinário sobre seus empregados, pois são contratados sob o título de auxiliar de loja, mas exercem tarefas próprias de vendedores de comércio varejista, repositores de mercadorias, operadores de caixa ou atendentes de loja. “A reclamada (Lojas Americanas) instituiu, como seu faz-tudo, o chamado auxiliar de loja”, conclui o relator do acórdão, desembargador Ronaldo Medeiros de Souza.

    Para a procuradora regional do trabalho Ileana Neiva, que assina a ação civil pública, “a nomenclatura genérica dificulta até mesmo saber qual o piso salarial da ocupação para a qual o empregado está sendo contratado, pois muitos deles foram contratados como auxiliares de loja para exercer a função de operador de caixa ou supervisor, cargos para os quais o piso salarial é superior àquele praticado pela empresa”.

    Além disso, o TRT-RN reconheceu ser obrigatória a utilização da CBO nos contratos de trabalho, já que nenhuma empresa pode fazer as comunicações obrigatórias ao Ministério do Trabalho e Emprego, no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e na Relação de Informações Sociais (Rais), utilizando denominação genérica para seus cargos.

    Entenda o caso - A partir de ação civil pública do MPT-RN, a 9ª Vara do Trabalho de Natal condenou as Lojas Americanas ao pagamento de indenização no valor de R$ 3 milhões por dano moral coletivo devido a irregularidades trabalhistas, como desvio de função, jornada móvel, ausência de folga após o sexto dia consecutivo de trabalho, ilicitude na concessão dos intervalos devidos, período contabilizado para cálculo do adicional noturno em desacordo com a lei, marcações nas folhas de ponto que não correspondem à realidade e compensação ilícita de horários nos contratos de empregado aprendiz.

    Na sentença, o juiz do trabalho Cacio Oliveira Manoel determinou que a empresa deveria excluir as cláusulas abusivas, que foram declaradas nulas, e elaborar outro padrão de contrato de trabalho, com descrição das funções de cada cargo, tendo como parâmetro a descrição da CBO. A empresa foi condenada a estabelecer jornadas fixas para todos os seus empregados, eliminado o sistema de jornada de trabalho variável e a cessar as demais irregularidades trabalhistas.

    Além de manter a condenação por danos morais coletivos e de acrescentar medidas propostas pelo MPT, o acórdão do TRT-RN também preservou o valor da multa por infração imposta na decisão inicial. Em caso de descumprimento das obrigações, as Lojas Americanas devem pagar a quantia de R$ 5 mil por cada empregado em situação irregular.

    O valor da indenização por dano moral coletivo deve ser revertido para instituições assistenciais de integração de trabalhadores no mercado de trabalho, a serem indicadas pelo MPT-RN após o trânsito em julgado da condenação, ou seja, quando não couber mais recurso.

    Número do processo 21200-75.2013.5.21.0009.

    ______________________________________________________ 

    Medicamentos Manipulados? Só na Fórmula Certa


    A Fórmula Certa é a única farmácia de Caraúbas e região a fornecer medicamentos manipulados controlados.

    A partir de agora você pode ter na nossa cidade aquele medicamento que antes só encontrava em preços altíssimos e em outras cidades. Medicamento da tarja preta e azul, manipulados, só na Fórmula Certa.

    Nela você também encontra grandes variedades de outros medicamentos, além de produtos estéticos, emagrecedores, suplementos pra musculação, tudo em preços bem acessíveis e com um padrão de qualidade certificado pela ANVISA.

    Ainda é representante das linhas Tiarajú (Naturais e emagrecedores), Snella (linha Ligth), Probiótica e BoryAction (Suplementos esportivos), ADCOS (Estética e Beleza).

    Em 1 ano de existência já são mais de 2 mil clientes registrados e satisfeitos com os produtos. Vá conhecer você também, se já conhece confira as novidades!

    Fórmula Certa: Sua saúde do jeito certo.

    Praça Reinaldo Pimenta, 95 – Centro, Caraúbas/RN.

    Contatos: 3337.3054 / 9620.1000

    Curta nossa página: https://www.facebook.com/FormulaCertaCaraubas

    Acompanhe nossas novidades também no Facebook. Clique para curtir nossa fan Page


    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 ► Envie seu comentário:

    Item Reviewed: TRT-RN mantém condenação de R$ 3 milhões contra as Lojas Americanas Rating: 5 Reviewed By: Gidel de Morais

    Seguidores

    Scroll to Top